sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

N A T A L 3

Resultado de imagem para peúgas clipart"O terceiro* momento Natal,
talvez o mais embaraçoso de todos.
Na fila para a caixa
de uma loja de roupa.
Enquanto espero,
afasto uma cruzeta,
para espreitar uma sweatshirt brilhante de menina.
Uma senhora acusa o toque.
"Oi! Isso daí é meu!"

desculpe
"num tem mau!"

foi sem querer
"num tem problema!"

não sabia que era seu
peço mesmo desculpa
não me tinha apercebido
"ai, não se preocupe, não!"


(balbucio, balbucio, balbucio...
E de súbito apercebo-me que já me desculpei de mais
e então justifico-me por me ter justificado tanto!)

desculpe a minha insistência
mas esta sociedade é tão do litígio
que a gente nunca sabe quem vai encontrar...

"é, eu sei, mas eu sou da paz, Viu?
Que Deus te abençoe e à tua família!"

Aquela benção apanhou-me de surpresa.
Encheu-me os olhos de lágrimas
sem que soubesse de onde vinham.
Então, aquela senhora toda doçura
descobriu a minha mão que segurava pantufas, peúgas  e pijamas
tocou-lhe com ternura e disse-me:
"Olhe, bendito seja Deus por este momento.
Ele colocou você e eu hoje nesse local
e a essa hora
para a gente se encontrar.
E que bom que foi, não foi?"

Eh, pá!
Foi!

Graças a ele
ou à Nossa Senhora das Compras de Última Hora
ou às alterações hormonais daquela fase do mês
ou à nossa predisposição para comunicarmos uma com a outra.

Interessa pouco.
Na realidade, ali se fez Natal, sim.
Lembrando-me que o seu sentido é este mesmo:
a empatia e a conexão ao próximo.


*
o primeiro lê-se aqui
o segundo aqui

1 comentário: